Enem: os últimos temas de redação podem dizer muito sobre a prova

Mal começamos 2023 e as […]

8 de março de 2023

Mal começamos 2023 e as datas do ENEM (Exame Nacional do Ensino Médio), que tem por objetivo avaliar o estudante ao término da educação básica, já foram divulgadas. As inscrições acontecerão a partir de 8 de maio e as provas serão aplicadas nos dias 5 e 12 de novembro de 2023. Popular em todo o país, estamos falando de um exame especialmente comentado por professores e estudantes ligados ao Ensino Médio, já que o desempenho na prova é utilizado como critério de seleção para bolsas no Programa Universidade para Todos (ProUni), no Sistema de Seleção Unificada (Sisu) e para o Financiamento Estudantil (Fies). Além disso, atualmente, aproximadamente 500 universidades brasileiras usam os resultados individuais dos estudantes como critério de seleção para o ingresso no ensino superior, seja complementando ou substituindo o vestibular. 

A dinâmica proposta pela prova é bastante conhecida: temos 180 questões objetivas de múltipla escolha e uma redação. O exame é dividido em dois domingos consecutivos; no primeiro dia do exame são aplicadas as provas de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias, Ciências Humanas e suas Tecnologias e Redação. Tudo deve ser lido, interpretado e solucionado em cinco horas e trinta minutos. Já no segundo dia, são aplicadas as provas de Ciências da Natureza e suas Tecnologias e Matemática e suas Tecnologias. Nessa etapa, o tempo é ligeiramente menor: cinco horas. 

A nota das questões objetivas é calculada por meio de uma metodologia chamada de Teoria de Resposta ao Item (TRI), que leva em consideração o nível de dificuldade de cada questão, o padrão e a coerência nas respostas do aluno. Inclusive, se quiser saber mais sobre esse método,clique aqui, leia um de nossos artigos em que tratamos desse assunto e aproveite para aprender a calcular a sua nota no ENEM. A redação, por outro lado, é corrigida manualmente, uma a uma, por avaliadores certificados pelo Ministério da Educação (MEC). 

E quando falamos especificamente nela, na redação, o tema é algo que gera grandes expectativas entre os candidatos, visto que sua pontuação impacta diretamente no resultado do estudante. Independentemente do assunto proposto, a produção do texto visa avaliar o candidato em relação às seguintes competências específicas: 

  1. Domínio da norma padrão da língua portuguesa; 
  2. Compreensão da proposta de redação; 
  3. Seleção e organização das informações; 
  4. Demonstração de conhecimento de recursos linguísticos para argumentação do texto; e 
  5. Elaboração de uma proposta de solução para os problemas abordados, respeitando os valores e considerando as diversidades socioculturais. 

Os estudantes podem receber até 200 pontos para cada competência, totalizando a nota máxima de 1.000 pontos. O ENEM é aplicado desde 1998 e os temas a serem dissertados já foram os mais variados, passando do meio ambiente à cultura, questões sociais, tecnologia etc. Dependendo do ano, em retrospecto podemos entender que há temas de maior e de menor complexidade, mas o objetivo sempre é o mesmo: provocar os estudantes a escreverem um texto de natureza dissertativo-argumentativo, apresentando a tese sobre o tema com argumentos consistentes e que ofereça uma proposta de intervenção na vida social. Em outras palavras, que uma solução para os problemas apresentados seja proposta.

Até 2017, o ENEM zerava automaticamente a redação de quem desrespeitasse os princípios dos Direitos Humanos. Desde então, caso o candidato não respeite os Direitos Humanos, perde pontos da competência 5. Entretanto, a redação ainda pode ser zerada por: fuga ao tema; texto com extensão total de até sete linhas; falta de obediência de estrutura dissertativo-argumentativa; ocorrência de trecho deliberadamente desconectado com o tema proposto; e desrespeito à seriedade do exame. Como é possível notar, a redação é de extrema importância quando se pensa no contexto geral da prova, deixando candidatos e professores curiosos. Afinal, estamos falando de um conteúdo que não pode ser estudado de antemão; o estudante descobre sobre o que deverá dissertar apenas no momento de realização do exame.

Como estudar para a redação do ENEM? 

Professores recomendam que para ter sucesso na redação do ENEM, a prática da escrita é muito importante. Isso por parecer óbvio, mas não é, especialmente na Era do Digital, em que comportamentos de criação e de consumo de informação por meio do texto estão em transformação. Sendo assim, criar uma rotina para esta preparação é de extrema importância, permitindo que o aluno possa, em conjunto com seus professores, ampliar o repertório de possíveis temas e exercitar habilidades essenciais à escrita; da gramática à argumentação. Ao escrever a redação-treino, é importante ficar atento às 5 competências exigidas para ter certeza de que não está fugindo da proposta. Uma dica valiosa é circular as palavras importantes do tema e, dessa forma, conseguir desenvolver o texto no caminho correto.  

Estudantes conseguem se preparar para a redação revisando as propostas dos anos anteriores e, dessa maneira, conseguem praticar a escrita dentro dos parâmetros que serão avaliados: treinar a escrita tendo em vista à estrutura específica do modelo de texto solicitado, habituar-se com o estilo de texto bem avaliados em momentos anteriores, compreender o tipo de coletânea de textos fornecidos para a escrita e descartar temáticas que já foram abordadas, pois elas não se repetem.  

Outra recomendação importante para aqueles que estão prestando a prova é ter o hábito da leitura. Além de conseguir expandir o vocabulário, os candidatos que leem com mais frequência têm mais possibilidades de conseguirem exercitar a empatia, isto é, colocar-se no lugar do outro e defender uma narrativa condizente com o tema. Em outras palavras, conseguem se posicionar diante determinado tema, mesmo que o assunto não seja algo que cause impacto direto no candidato.

E, como sabemos, nem só de texto se alimenta um bom escritor! Assistir filmes, séries, documentários e acompanhar o noticiário e podcasts tem grande relevância para quem está prestando o exame. Ao estar conectado com mídias variadas, o senso crítico aumenta, bem como o repertório cultural expandido. 

A seguir, veja as propostas apresentadas para a redação nas últimas quatro edições do ENEM: 

2022 -“Desafios para a valorização de comunidades e povos tradicionais no Brasil” 

2021 -“Invisibilidade e registro civil: garantia de acesso à cidadania no Brasil” (tema do Enem impresso e digital) 

2020 – “O estigma associado às doenças mentais na sociedade brasileira” (tema do Enem impresso) 

2020 – “O desafio de reduzir as desigualdades entre as regiões do Brasil” (tema do Enem digital) 

2019 – “Democratização do acesso ao cinema no Brasil” 

Nota-se que as temáticas trazidas pelo ENEM direcionam a prova para a abordagem de questões sociais do país e instigam os candidatos a expressarem seus pensamentos e conhecimentos sobre assuntos críticos que impactam a sociedade brasileira. Estes temas refletem as discussões que estão sendo realizadas na sociedade como um todo e trazem informações sobre acontecimentos recentes, latentes nos meios de comunicação de massa e em redes sociais. 

Pensando nisso, vale perguntar: você já tem hipóteses sobre possíveis temas para o ENEM de 2023?

As temáticas da redação e seu impacto na prova

A redação proporciona um espaço para que os candidatos demonstrem o repertório que adquiriram durante sua vida escolar, e que se posicionem, mostrando individualmente o que pensam sobre o coletivo, sobre questões que impactam diretamente o país. Neste ponto, valorizar os Direitos Humanos é fundamental e os candidatos devem discernir se o que estão propondo não fere valores de cidadania, de liberdade, de solidariedade e de diversidade cultural.

A grande amplitude das temáticas que podem ser trazidas pela prova pode gerar ansiedade entre os estudantes que estão prestes a passarem pelo ENEM: além de o exame avaliar o que sabem sobre os conteúdos abordados durante os anos de educação básica, devem dominar temas que estão pairando nos noticiários e nas rodas de conversa do país, os chamados “temas quentes”. Ou seja, devem estar atentos e antenados ao que está acontecendo no mundo e no país e devem ter ferramentas para conseguirem se posicionar em relação a eles.

Embora a amplitude dos assuntos possa gerar medo em relação a tópicos desconhecidos, há que se ter calma: o ENEM fornece aos candidatos textos de apoio, também conhecidos como textos motivadores.

Tais conteúdos devem ser lidos e interpretados para, posteriormente, serem incorporados, de alguma maneira, na escrita da redação. Dessa forma, mesmo que o estudante não domine o assunto que está sendo trazido, ele conta com a possibilidade de coletar informações e direcionar a escrita para discorrer sobre o tema, conseguindo, inclusive, abordar mais detalhadamente sobre aquilo que foi apresentado na coletânea de textos.

Mesmo que ainda estejamos no início do ano, o conselho dos professores para os estudantes que vão prestar a prova e escreverem a redação da melhor maneira possível é que, além de dominarem a língua portuguesa e sua escrita, fiquem atualizados e envolvidos com os assuntos latentes no país e no mundo, não esquecendo de incrementar o repertório cultural, assistindo filmes e lendo livros, por exemplo. Assim, estarão preparados para, de forma clara e objetiva, expressar o seu pensamento crítico e respeito aos Direitos Humanos independente do tema.

Vamos praticar?

plugins premium WordPress